“Performances” Teatrais no Póquer

A capacidade de representar é uma vantagem importante para os jogadores de póquer conseguirem superiorizar-se face aos adversários. A sorte das cartas vai e vem, mas é a possibilidade de esconder dos adversários o pensamento sobre o jogo que se tem na mão que faz a diferença – bem como a capacidade de ler as suas reações. É por isso que alguns analistas comparam uma partida de póquer a uma peça de teatro, rígida e tensa.

17 Jul 2005, Los Angeles, California, USA --- The very mention of poker evokes images of middle-aged men, cigars, and five-card stud. Not anymore. Today, Texas Hold 'Em is the poker game of choice, and more and more people are playing it, in casinos, in tournaments, and at home. At home poker parties are playing out across the country, as poker seems to be going mainstream spurred on, many say, by television shows like Bravo's "Celebrity Poker Showdown," "The World Poker Tour" on The Travel Channel, and ESPN's "World Series Of Poker." Pictured: Poker chips and cards, a full house. --- Image by © Marianna Day Massey/ZUMA/Corbis

Há, porém, uma diferença fundamental entre jogar póquer e fazer teatro, ou representar. Quando representamos, podemos improvisar, e a peça segue em frente e mantém as possibilidades de ser um êxito. Representar no cinema e na televisão implica ainda menos riscos: se a cena correr mal, corta-se e tenta-se novamente. Mas no póquer não há cortes nem improvisos, e só mesmo a sorte funciona como rede de segurança – embora muitas muitas vezes nem esteja lá. No póquer não há espaço para os erros ou as falhas de representação: comete-se um deslize e o adversário ataca implacavelmente.

É mais viável jogar póquer num Casino Móvel, onde o “adversário” não vê as nossas reações e, portanto, o controlo do jogo é facilitado.

Atores e jogadores de póquer

É por isso que nem todos os atores vêm a enveredar por uma carreira no Texas Hold’em ou em outra variante do póquer. Contudo, há alguns atores conhecidos que conseguiram dar o “salto”, tendo conquistado resultados consideráveis com o baralho de cartas na mão. Veja alguns exemplos:

  • Shannon Elizabeth: A atriz de “American Pie” já venceu 5 torneios World Series of Poker (WSOP);
  • Jason Alexander: Quem não se recorda do célebre George Costanza, em “Seinfeld”? É também uma presença habitual nas mesas do WSOP;
  • James Woods: conseguiu, em 2015, um 7.º lugar no No Limits Hold’Em Shootout;
  • Matt Damon, um dos “bad boys” em “Ocean’s Eleven”, também já participou em diversos WSOP.