Sabe Dizer “Teatro” em Português?

Teatro_municipal_rio_1905

“Teatro” é uma palavra de origem grega (“theatron”), que se refere quer ao conjunto de peças dramáticas escritas para serem representadas diante de um público, quer ao próprio edifício onde essas peças são exibidas, significado inicial do étimo grego, que tinha o sentido de “lugar para olhar”. No “teatro” eram realizadas cerimónias religiosas em homenagem a Dionísio, deus do vinho, que incluíam música, dança, procissões e a apresentação de ditirambos, hinos cantados e representados por coros. Com o tempo, estas representações foram adquirindo o formato que hoje conhecemos, ao passarem a incorporar histórias sobre os deuses e heróis gregos.Teatro_municipal_rio_1905

O teatro tem hoje o pleno estatuto de forma de arte, sendo um modo literário em que um ou mais atores apresentam uma história, com o objetivo de despertar sentimentos na plateia ou de transmitir valores.

Em Portugal, apesar de presente em encenações religiosas ou profanas durante a Idade Média, elevou-se à categoria de arte com a obra inovadora de Gil Vicente, que cultivou sobretudo o auto, a farsa e a comédia, levando a cabo a transição de uma mentalidade medieval para uma cultura humanista.

De entre os géneros teatrais cultivados desde os primórdios, destacam-se:

  • COMÉDIA: Palavra resultante do grego “komoidia” (“espetáculo divertido”) e “komodios”. Houve uma época em que se referia a um poema narrativo, daí que esteja presente no título da célebre obra de Dante: “A Divina Comédia”. Era habitualmente considerada um género literário menor, em comparação com a tragédia, que tinha como personagens deuses e heróis, ao passo que a comédia se debruçava sobre homens comuns.
  • TRAGÉDIA: Provém das palavras gregas “tragos” (“bode”) e “oidea” (“canção”), significado com origem no drama satírico, em que os atores se adornavam com chifres de bode, para encarnar o papel de sátiros. De acordo com Aristóteles, a tragédia visava ajudar as pessoas a reconhecerem-se nas personagens e nos conflitos representados, para que pudessem lidar com questões não resolvidas e por fim libertar-se através de um efeito de catarse. O herói era apresentado lutando, impotente, contra o destino.

Outros géneros teatrais tardios são: a tragicomédia, a ópera, a revista e o musical.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *